Esse site foi visitado: 2235425 visitantes.
 
 
Report OnLine - Área Exclusiva para Clientes
Login   Senha      


 ABC EXPURGO UM PASSO À FRENTE NO CONTROLE DE PRAGAS    info@abcexpurgo.com.br
BUSCA  

FISPQS das Principais Pragas

Mosca
5
A Mosca Doméstica

mosca.gif (4383 bytes)
Introdução  
icon_mosca.gif (293 bytes)
As moscas pertencem à ordem Diptera (duas asas). Moscas de todos os tipos tem afetado o homem e seu bem estar por séculos. Algumas vivem de sangue, outras de detristos. Muitas transmitem doenças, algumas são pragas de plantas cultivadas; algumas parasitam certos insetos, enquantos outras participam na polinização das plantas. Vamos nos restringir à espécie MOSCA DOMÉSTICA, a mais encontrada em áreas urbanas e rurais que vive a custa de materiais em fermentação.
Aspectos Biológicos  
icon_mosca.gif (293 bytes)
A mosca doméstica é uma espécie  holometabólica, isto é, de metamorfose completa. Passa por 4 estágios principais: ovo, larva. pupa e adulto. A fêmea procura materiais apropriados, de preferência em fermentação, para efetuar a ocipostura. Após 20 horas de incubação, surgem as pequenas larvas brancas que começam imediatamente a se alimentar no meio da massa fermentada. Alguns dias são suficientes para que este inseto   passe para a próxima fase: a pupal.
A esta altura a larva já está bem desenvolvida e procura por lugares mais secos e frescos para pupar, por isso ela migra do local onde se alimentou durante o período larval para camadas mais profundas. Enquanto pupa, ela muda de cor, passando do amarelo para o vermelho, marrom e preto. Nesta última cor ela já está pronta para dar lugar à forma adulta. Esta se desvencilha da casca ou casulo com a ajuda de uma membrana que ela possui no alto da cabeça que através de movimentos de vai e vem, força a saída, funcionando como uma ferramenta pneumática. Resumindo, o ciclo completo de ovo até adulto é completado em seis dias, em condições ideais.
A Mosca Doméstica X Doenças  
icon_mosca.gif (293 bytes)
Além da presença da mosca ser bastante incômoda, vamos nos preocupar com seu aspecto carreador ou vetor de diversos organismos infecciosos. A alimentação da mosca tanto pode consistir de fezes, vômitos, lixo e outros materiais em decomposição, como de comida humana. Sua estrutura física e comportamento tornam-na um agente principal na transmisão de doença ao homem e animais domésticos. Seu corpo é recoberto de pequenos pelos onde ficam alojadas as bactérias. Suas patas são formadas de uma estrutura macia, o pulvillus, cobertas de pêlos glaudulares. Estes segregam uma substância colante que carreia as bactérias e outros organismos. Esta mesma substância permite que ela possa subir e permanecer em superfícies verticais ou andar de cabeça para baixo. A mosca não possui aparelho mastigador e sim sugador, conhecido como proboscis. Ela, impossibilitada de ingerir sólidos, regurgita sobre  eles e suga-os em seguida.

As moscas são conhecidas transmissoras dos organismos causadores do tifo, cólera, desidratação, tuberculose, carbúnculo, oftalmia, assim como de vermes parasitas.
Controle de Moscas  
icon_mosca.gif (293 bytes)
Muitas vezes há uma infestação em um local que possui boas condições sanitárias, porém a proximidade de rios, áreas de criação e outros favorece incrovelmente o aparecimento de moscas. Para tanto há uma série de medidas químicas e mecânicas que podem ser adotadas no sentido de minimizar o problema. Do ponto de vista química pode-se fazer uso de inseticidas residuais de comprovada ação contra moscas, e que deverão ser aplicados, a critério do profissional de campo, sempre que necessário. Podem também ser utilizadas iscas das mais variadas formas e formulações. Do ponto de vista mecânico, em lugares de alta infestação, é fundamental o uso de telas nas janelas. Nas passagens de muito uso, tais como entradas de restaurantes e cozinhas,  o uso da cortina de ar tem se mostrado extremamente eficiente. Além de todas essas medidas, não podemos esquecer do armazenamento do lixo. Algumas empresas adotaram o sistema de armazenar o lixo em câmaras frias até a sua retirada. Consideramos este o sistema ideal. Em locais em que esta prática não é possível, o lixo deve ser armazenado em locais longe da área de manipulação de alimentos, os latões sempre limpos e o lixo removido o mais constantemente possível.
De preferência armazenar em cabines fechadas. Na ocasião do tratamento com produtos químicos, estas áreas deverão ser bastante pulverizadas.
Conclusão  
icon_mosca.gif (293 bytes)
Todo o combate de insetos, inclusive de moscas, deve se constituir em uma coordenação equilibrada entre a empresa a ser servida e o técnico de contrôle de pragas. Basicamente existem os métodos cíclicos ou seja, que devem ser repetidos continuamente, e os permanentes. Nos primeiros estão incluídos o trabalho do técnico, as condições de saneamento da área foco, e a educação e treinamento das pessoas envolvidas nesta tarefa; nos segundos estão incluídas as medidas mecânicas adotadas no processo de extermínio de insetos. Em ambos os casos, a troca de idéias, a interação entre as partes é fundamental para obtermos o melhor de um programa de controle de pragas.

 

 

 

 

 

12/6/2002

 

Al. Dom Pedro de Alcântara 618, São Bernardo do Campo - SP. CEP: 09771-281
NÃO TEMOS FILIAIS NEM REPRESENTANTES